search instagram arrow-down

Editorial

Douglas Mota

Plural e contraditória, a Baixada Fluminense celebrou no último dia 30 de abril mais um dia dedicado a si. Cerca de duas semanas antes, nós encontramos 19 presentes que a região ganha todos os dias. São projetos sociais, empresas, artistas — todos eles agentes de transformação social agraciados com o Prêmio Destaq Baixada 2018, cuja cerimônia ocorreu num dos nossos maiores templos da cultura: o Teatro Municipal Raul Cortez, em Duque de Caxias. Nesta edição, tentamos revelar o trabalho de cada um deles e mostrar um pouco do espetáculo oferecido no dia 13 de abril.

Publicamos amostras do trabalho, aliás, de dois dos ganhadores. A poesia “A hora livre” foi escrita por Marcio Rufino: ator, historiador, poeta, professor, escritor… Já o conto “A mulher e o canário” foi cedido pela escritora Adriana Igrejas, integrante da Academia de Letras e Artes de Mesquita e professora de Literatura. Completando o conjunto, participam a minha amiga de longa data Gabriela Rezende, com a sensual poesia “À trois”, e o Fábio Santos, que criou o colorido perfil no Instagram @floresdabaixada.

Também nesta terceira edição de BaixadaZine damos início a uma série de reportagens que vão destrinchar através dos dados os variados perfis das 13 cidades da região. Nesta primeira, produzimos um infográfico com um apanhado geral dos números, de todo mundo, que vamos contextualizar e analisar no decorrer das próximas edições. Por enquanto, já podemos apontar quem está bem ou mal na fita. Spoiler: no caso da educação, estão todas mal.

Boa leitura!

Índice

2. Poesia: “A hora livre”, de Marcio Rufino

3. Galeria: Flores da Baixada – fotografia

4. Reportagem: Prêmio Destaq Baixada 2018

5. Poesia: “À trois”, de Gabriela Rezende

6. Reportagem: Baixada em dados

7. Conto: A mulher e o canário, de Adriana Igrejas

8. Expediente

Navegue pela revista por meio das páginas abaixo ☟

This entry was posted in Revista.
%d blogueiros gostam disto: