search instagram arrow-down

O beijo e o bicho

Marcio Ruffino

Eu dei um beijo na cabeça do bicho
Perplexado com meu ato
Passei a refletir num tom apressado
O que esse beijo me podia causar.

Uma virose louca
Devido o grande contato
De seu pêlo em minha boca?

Uma alergia infeliz
Devido a proximidade
De seu aroma em meu nariz?

Uma doença estranha
Devido o toque
De meus dedos em suas entranhas?

Amedrontado com meu ato
Deixo que o eixo do medo
Supere a ternura do beijo.

Bicho que não pediu beijo,
Porque deixo que o meu preconceito
Atravesse como uma espada de aço o meu peito?

Beijo; ato de amor.
Beijo; para aliviar a dor.
Bicho; criatura intrigante.
Bicho; ser interessante.

Beijo; sinal de carinho.
Beijo; derrubando os espinhos.
Bicho; animal consciente.
Bicho; quase igual  a gente.

Não sabendo o que se passava na cabeça do bicho,
Pensei que sabia o que se passava na minha.
Mas sabendo que o bicho tudo tinha a ver com isso,
Passei a responder com a razão o que o coração não adivinha.

Oh, Senhor! Deus do Universo!
Por tudo que há de mais imerso,
Não permita que eu jogue meus lábios no lixo
Pois na minha cabeça

Ainda beija
O beijo que eu dei
Na cabeça do bicho.


Índice – Edição V

1. Aos leitores

2. Poesia: “Fotografia da exclusão”, de Ivone Landim

3. Reportagem: Mais de 2 milhões de pessoas não têm coleta de esgoto na Baixada

4. Reportagem: Paraíso verde no Recôncavo da Guanabara – uma viagem a Guapimirim

5. Poesia: “O beijo e o bicho”, de Marcio Ruffino

6. Reportagem: Pandemia agrava situação do teatro na região

7. Galeria: Marcos Maciel – fotografia

8. Artigo: Se a cidade fosse minha

9. Trecho retirado do livro “Parnaso Brasileiro” (1843), de João Manuel Pereira da Silva

10. Expediente

Navegue pela revista por meio das páginas abaixo ☟

This entry was posted in Revista.
%d blogueiros gostam disto: